Quem usa os serviços de computação em nuvem híbrida e por quê?

Entidades governamentais e corporativas de médio a grande porte implementam nuvem híbrida para otimizar a eficiência e a agilidade do negócio e ganhar vantagem competitiva.

Em um ambiente tradicional de TI, o software aplicativo e o hardware de suporte são pesquisados, gerenciados e custeados em silos e, em geral, implementados no decorrer de alguns meses. A computação em nuvem permite o acesso a uma variedade de recursos de TI em minutos ou horas e alinha os custos ao consumo real. Uma nuvem híbrida é o modelo de computação em nuvem mais flexível e econômico, combinando o que o departamento de TI faz melhor com as capacidades dos provedores de TI externos.

Permitindo que a organização inicie projetos com mais rapidez, se beneficie rapidamente de novas capacidades e oportunidades de receita e responda imediatamente às alterações no mercado, mudar para uma infraestrutura em nuvem faz com que a TI passe de um centro de custos para um parceiro estratégico.

Como funciona uma nuvem híbrida

Uma nuvem híbrida é uma combinação de nuvens privadas e públicas e altera a função do departamento de TI de provedor exclusivo para “representante” de serviços de TI, com as seguintes características comuns:

Na nuvem pública, os recursos de TI pertencem a um provedor de serviços de terceiros, que os gerencia, e são compartilhados entre clientes e acessados via Internet. A grande economia de escala pode manter os custos baixos, mas a transparência e o controle também são baixos. Consequentemente, a nuvem pública é quase sempre utilizada para aplicativos não essenciais e informações não confidenciais.

Na nuvem privada, os recursos de TI pertencem a uma única organização, à qual são dedicados e na qual são compartilhados e oferecidos como serviço via Internet ou LAN. Embora menores do que na nuvem pública, a economia de escala e a economia geral são significativas, a transparência e o controle são altos e as preocupações com multi-tenancy são eliminadas. Por isso, aplicativos essenciais e informações confidenciais quase sempre residem na nuvem privada.

Alguns aplicativos podem residir em ambientes de nuvem privada e pública, com a nuvem pública atuando como uma extensão sob demanda da nuvem privada para manipular cargas de pico ou fornecer recuperação de desastres. Em configurações mais complexas, os dados selecionados são movimentados entre as nuvens, por exemplo entre um aplicativo de relacionamento com clientes na nuvem pública e um aplicativo financeiro em uma nuvem privada.

Ferramentas podem ser usadas para gerenciar recursos nos ambientes. Por exemplo , ferramentas como da VMware, Citrix, Microsoft e RedHat fornecem uma visão unificada de máquinas virtuais (VMs) na nuvem privada e VMs executadas na nuvem pública, além de permitir que administradores movimentem VMs entre nuvens.

Benefícios de uma nuvem híbrida

Uma nuvem híbrida oferece diversos benefícios, entre eles:

  • Implementação e tempo de implantação de TI mais rápidos
  • Uso ideal dos recursos e gastos de TI
  • Acesso aos aplicativos, desktops e informações a partir de qualquer lugar
  • Expansão ou realocação rápida, à medida que as demandas mudam
  • Menores custos de infraestrutura, energia e instalação
  • Maior produtividade da equipe de TI e da organização
  • Maior segurança e proteção dos ativos de informação

Desvantagens da arquitetura de computação em nuvem:

A maior desvantagem da computação em nuvem vem fora do propósito desta, que é o acesso à internet. Caso você perca o acesso, comprometerá todos os sistemas embarcados.

  • Velocidade de processamento: caso seja necessário uma grande taxa de transferência, se a internet não tiver uma boa banda, o sistema pode ser comprometido. Um exemplo típico é com mídias digitais ou jogos;
  • Assim como todo tipo de serviço, ele é custeado.

Revelações da Vigilância pela NSA

Em outubro de 2013 a imprensa publicou, com base nos documentos revelados por Edward Snowden, que através do Programa MUSCULAR, o GCHQ britânico e a NSA secretamente invadiram os principais enlaces de comunicação dos centros de processamento de dados do Yahoo! e do Google ao redor do mundo, tendo acesso aos dados da nuvem de ambos.

Dúvida

Arquitetura em nuvem é muito mais que apenas um conjunto (embora massivo) de servidores interligados. Requer uma infraestrutura de gerenciamento desse grande fluxo de dados que incluem funções para aprovisionamento e compartilhamento de recursos computacionais, equilíbrio dinâmico do workload e monitoração do desempenho. Embora a nuvem venha ganhando espaço, ainda é cedo para dizer se dará certo ou não. Os arquivos são guardados na web e os programas colocados na nuvem computacional – e não nos computadores em si – são gratuitos e acessíveis de qualquer lugar. Mas a ideia de que ‘tudo é de todos e ninguém é de ninguém’ nem sempre é algo bem visto. O fator mais crítico é a segurança, considerando que os dados ficam “online” o tempo todo.

Por essas questões empresas ainda tem que pensar e muito na hora de contratar serviços baseados em nuvem. Optar por nuvem tem que ser uma questão estratégica e pensada a longo prazo.

Não é uma questão somente de diminuir custos e seguir moda. Uma alternativa a nuvem, hosting e colocation é a construção de Data Center próprio. Como já falado nesse e-book não é somente grandes empresas que podem e devem ter seus próprios Data Centers, pequenas e médias empresas cada vez mais vem adotando e construindo seus Data Centers.

WJ Sales
WJ Sales
Especialista em desenvolvimento de sites, lojas virtuais e sistemas. Faço parte da equipe que compõe a empresa Sales Publicidade. Atuamos em diversas áreas destinada ao Marketing. Faço publicações de artigos em blogs e nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image