Empresas mudam rotinas com o aumento das vendas on-line

Compras online aumentam por causa da quarentena

A quarentena causada pelo coronavírus aumentou a demanda por compras on-line, principalmente alimentos, produtos de limpeza e pedidos em farmácias.

O volume cresceu tanto que foi comparado por especialista à Black Friday, data conhecida pelos descontos e uma das principais do comércio digital no ano.

De acordo com a consultoria E-bit, na semana entre os dias 19 e 25 de março, o consumo de varejo on-line de produtos de consumo rápido quase dobrou. Entre os itens mais buscados, produtos da cesta básica tiveram alta de 165%, frios cresceram 106% e hortifrutigranjeiros, 93%.

Com muitas pessoas evitando sair de casa, os dados mostram ainda que o número de pessoas comprando pela primeira vez on-line quase dobrou no período,

A alta foi também sentida por gigantes do comércio digital. No Mercado Livre, por exemplo, a busca por produtos de higiene pessoal, alimentos e bebidas, farmácia e limpeza teve alta de 64% entre os dias 17 e 31 de março.

Só alimentos e bebidas cresceram 40%. Na categoria de saúde e equipamentos médicos a alta foi de 89%, enquanto a de artigos para casa e móveis subiu 93% (nesta categoria os mais comprados foram itens para cozinha, decoração, ar-condicionado e móveis).

Nos comércios on-line de plataformas menores também houve maior procura. Segundo dados da Konduto, empresa de análise de risco de fraudes no comércio eletrônico, houve uma demanda 7 vezes maior do que a normal por brinquedos. Foi a categoria com maior aumento nas buscas entre as 4 mil lojas que usam os serviços da companhia.

A análise leva em consideração compras feitas entre os dias 15 e 24 de março, em comparação com os primeiros dez dias do mês.

A alta foi muito grande também em supermercados (448%) e artigos esportivos (187%). Farmácias registraram crescimento de 74%.

“O aumento é nas proporções de Black Friday, de 3 a 5 vezes o volume normal. Alguns são óbvios, como os supermercados. Outros nem tanto, como brinquedos, com aumento de 7 vezes. Mas faz sentido já que as pessoas estão com crianças em casa por mais tempo”, afirma Tom Canabarro, fundador da Konduto.

Também houve crescimento para produtos esportivos, como halteres e tapetes de yoga, além de jogos virtuais. De acordo com Canabarro, produtos supérfluos, como capinhas para celular ou roupas, tiveram queda nas compras.

O comércio on-line costuma se preparar para aumentos pontuais na demanda de produtos, como acontece durante a Black Friday, o Natal e outros feriados. Mas o isolamento do coronavírus e a alta da demanda por produtos específicos pegou as varejistas de surpresa.

Fonte: G1 Tecnologia

WJ Sales
WJ Sales
Especialista em desenvolvimento de sites, lojas virtuais e sistemas. Faço parte da equipe que compõe a empresa Sales Publicidade. Atuamos em diversas áreas destinada ao Marketing. Faço publicações de artigos em blogs e nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image