Cabos submarinos fazem conexões da Internet

A internet tem sido algo divino, e acho que o mundo não conseguiria mais viver sem esse recurso, pelo menos o mudo de hoje. São tantas possibilidades de comunicação e entretenimento, o mundo virtual faz com que as distâncias e o tempo, não sejam mais eficazes em distanciar a transmissão de mensagens e o compartilhamento de arquivos.

Nós estamos tão acostumados com esse acesso veloz as informações, passar o dedo no smartphone e se deslocar para qualquer parte do mundo, de ligar o computador e acessar diversos tipos de informações, que muitas vezes esquecemos de como é possível, que todas essas tecnologias conseguem essa conexão. No início da internet aqui no Brasil, era de forma discada, e quem viveu esse tempo lembra, de como tinha que esperar para fazer uma conexão, e muitas vezes caia no meio de algum procedimento, e tinha que conectar novamente com aqueles aplicativos de conexões, onde clicava em discar e fazia aquele barulhinho encantador. Era uma felicidade quando conseguia a conexão de 56 Kbps.

Agora os tempos são outros, as conexões voam, podem ser compartilhadas, ver filmes e vídeos se tornou comum, e quase todos os lugares tem wifi, o mundo se transformou em uma era digital, é tudo acelerado e cada vez temos mais novidades.

Mas para que a internet chegue até nós , é preciso atravessar oceanos da mesma forma que as tradicionais linhas telefônicas. O caminho que é percorrido nos mares, é impressionante. Em alguns pontos existem poucos pontos, como no Alasca e Australia, mas na Europa parece um emaranhado de tubos submarinos. No Brasil existem seis cabos submarinos, quatro ligam aos EUA, um liga ao Uruguai e Argentina e um outro que liga a Europa, mas esse quase não é usado para internet, por ser muito antigo, e mais usado pela telefonia.

Foi divulgado esses dias que o Brasil está fazendo uma conexão submarina com a Africa, que possibilitará uma conexão melhor com o Oriente e a Europa, sem depender dos cabos conectados aos Estados Unidos. O cabo de fibra ótica percorre uma distancia de 5.917 Km, pelo oceano Atlântico, sai de Fortaleza no Ceará e vai até Kribi nos Camarões, depois passa pela Inglaterra e chega no Oriente. Com esse novo trajeto disponível, acredita-se que a comunicação entre o Brasil e os países da Europa e do Oriente, ficará melhor e aumentará a oferta de internet de alta qualidade, pois não iremos ficar só dependendo dos cabos que passam pelos Estados Unidos.

Iniciar conversa
Precisa de ajuda?
Talma Teleinformática
Olá,
Em que podemos ajudar?